top of page

4 erros comuns de Videomakers iniciantes e como evitá-los

Atualizado: 24 de ago. de 2022

Você está começando como Videomaker? Então, o entusiasmo deve ser grande e a experiência, nem tanto, certo? Para um Videomaker iniciante, há um mundo inteiro de descobertas na profissão, muitos detalhes e truques que só se aprende com o tempo e muito, muito treino.


Para ajudar a driblar os obstáculos, preparamos uma pequena lista de erros que podem ser evitados, mesmo no início da sua jornada como Videomaker. Se for possível desviar deles, o primeiro passo para se tornar um bom profissional já está dado. Bora conferir?


1. Comprar a câmera mais cara para fazer vídeos melhores


Isso é uma grande armadilha para o Videomaker iniciante.


Entenda. Comprar uma câmera mais cara não vai fazer seu vídeo melhorar como mágica.

Na maior parte das vezes, com uma câmera de entrada, aquele basicona, você já pode fazer um trabalho maravilhoso e encantar seus clientes, somente aprendendo a usá-la da forma correta.


Por isso, antes de comprar uma super câmera, ou a lente mais cara, uma boa pedida é investir dinheiro e tempo em treinamento para aprender a tirar o máximo do seu equipamento.


Se você está iniciando sua carreira, vale a pena procurar um curso com um profissional que você admira e confia, essa sem dúvida é uma das melhores formas de sugar a experiência desses profissionais e entrar no mercado da forma certa.



Então lembre-se, antes de pensar em trocar de câmera, tente extrair o máximo do seu equipamento. Não seja mais um Videomaker ruim com uma câmera boa. O que você precisa é se tornar um Videomaker cada vez melhor, independente do equipamento que tiver.


2. Montar portfólio apenas com trabalho pago


Esse erro é clássico. Quem tá começando sempre esbarra no Paradoxo do Portfólio: usa como desculpa o fato de "não consigo clientes porque não tenho portfólio, mas como vou ter portfólio se nenhum cliente me contrata?" 🤔 (tem um vídeo do Marvel falando sobre o Paradoxo do Portfólio).


Para produzir o primeiro portfólio, não é necessário ter um cliente, nem o trabalho precisa ser pago. Você pode fazer vídeos autorais ou trabalhos gratuitos para amigos, parentes, instituições, ONGs, dependendo do nicho que você queira explorar.


Esses vídeos, mesmo gratuitos, devem ser feitos como se fossem um trabalho profissional. Reproduza toda a produção, do começo ao fim, vivenciando a ideia de um trabalho contratado por alguém de forma séria, com o comprometimento e a intenção de criar o portfólio para usar nas suas divulgações.


Perca o medo, vá e faça!


Assim você vai ganhar experiência filmando na prática e ainda poderá fazer os seus primeiros portfólios do jeito que você sempre imaginou.


3. Achar que postar vídeo bonito é o suficiente para atrair clientes


Você toma a iniciativa e faz um vídeo maravilhoso que gostaria de oferecer no mercado. Em seguida, começa a publicar nas redes sociais, no seu site e fica esperando que os clientes vejam e te procurem para fechar um contrato.


Isso é o que chamamos de “marketing de esperança” e ele não passa de um equívoco. Hoje, a concorrência é grande e existe muita gente talentosa filmando e oferecendo trabalhos sensacionais, então, vídeo bom é o que não falta por aí.


🔥 CONHEÇA O FILMMAKER PRO, O CURSO DE PRODUÇÃO AUDIOVISUAL MAIS COMPLETO DO PAÍS, CLICANDO AQUI!


Comece a ser ativo no trabalho de marketing e entenda que é você quem tem que ir atrás do cliente. Você poderá fazer isso de diversas formas, por telefone, presencialmente, por e-mail, através dos anúncios na internet ou, quem sabe, com uma parceria comercial na sua cidade. O que importa é que se você ficar dependendo do destino para ter clientes, dificilmente você conseguirá se sustentar como Videomaker por muito tempo.


Nossa dica? Acesse agora o Podcast do Filmmaker Pro e comece a escutar nossos podcasts. Lá você vai aprender a ser ativo nas vendas e no seu marketing e também aprenderá a atrair os clientes para o seu negócio de vídeo.


Para quem está iniciando, é indispensável ir atrás do cliente com postagens relevantes para o público que você quer atingir, fazer parcerias e se relacionar com a clientela ativamente.


4. Só estudar sobre Audiovisual


Você entra no mercado pensando apenas em edição, câmeras, lentes, gimbals... por isso, interage apenas com Videomakers. Nessa fase, você quer reunir informações, aprender, acompanhar o trabalho do outro profissional. Isso tudo é válido e acrescenta muito, mas, se quiser ser reconhecido e ir mais longe, encarando o vídeo como um negócio, é preciso estudar também outras áreas.


Você precisa estudar marketing digital, gestão do negócio, entender sobre comportamento do consumidor, vendas... Além disso, todo Videomaker que quer ter sucesso precisa estar atualizado sobre o seu negócio e o que tem de novo nas redes sociais. Sempre que puder, ofereça uma solução para algum problema que os potenciais clientes apresentem. Proatividade é a palavra-chave!


Oh, mas não acabou por aqui, viu? Se você quer mudar de vez a realidade do seu trabalho como Videomaker, você precisa conhecer o FILMMAKER PRO. Seja um iniciante ou um profissional já experiente no mercado, o FILMMAKER PRO vai te mostrar como ter a agenda cheia, ser valorizado e reconhecido pelo mercado e conquistar sua liberdade financeira. CLIQUE AQUI para saber mais.


Na vida de um Videomaker o importante é aprender com as lições do dia a dia e se aperfeiçoar sempre.


Até a próxima, 👋🏼

Camila Pinto


📌 Já conhece nosso canal no Telegram? Por lá sempre tem conteúdo inédito e gratuito pra você: [CLIQUE AQUI PARA ENTRAR NO CANAL DO TELEGRAM]

70 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Quer ficar por dentro das novidades do Audiovisual? Deixe seu e-mail 👇

Obrigado pelo envio!

bottom of page