Como o coronavírus está afetando os Videomakers pelo mundo

A equipe do site Cinema5D nos mostrou como o coronavírus está afetando os Videomakers ao redor mundo.



Johnnie Behiri - Tóquio

A vida em Tóquio diminuiu um pouco (algumas empresas de nossa indústria pediram que seus trabalhadores trabalhassem em casa), mas, em suma, os japoneses estão cientes de desastres naturais e lidam com a situação de maneira admirável. Sem pânico, sem egoísmo, mas com solidariedade e respeito! Lojas, restaurantes, transporte público, onde quer que você olhe, você vê pessoas por aí.


Nino Leitner - Áustria

Eu estava trabalhando em dois projetos de documentários que estavam prestes a terminar quando o toque de recolher total na Áustria foi anunciado no domingo passado. Eu estava filmando no dia em que soubemos que nosso dia seguinte seria cancelado, porque agora são proibidas na Áustria reuniões de mais de 5 pessoas, para impedir a rápida propagação do vírus. Concluí um dos documentários gravando as quatro entrevistas restantes via conferência do Skype, filmando o apresentador em um estúdio com o diretor sentado, e uma equipe de três pessoas onde todos mantinham distância. Foi uma experiência muito estranha.


Todos os dias parece cada vez mais que o mundo não será o mesmo depois que essa crise global da saúde acabar... tanto econômica, quanto socialmente. Felizmente, as pessoas estão descobrindo a solidariedade das outras pessoas e há um forte senso de “estamos todos juntos".


Jeff Loch - França

Estou morando em Lyon, na França, que é a terceira cidade mais significativa do país. Agora estamos em quarentena. Você não pode sair sem autorização ou recebe uma multa de US$ 40, em breve a multa vai ser de US$ 150. As ruas estão vazias, um sentimento bastante estranho, mas a vida continua. A partir de agora, a quarentena é definida por 15 dias, mas eles podem estendê-la.


É um momento difícil, mas o mínimo que podemos dizer é que os franceses não são os mais disciplinados por aí. Vi muitas pessoas ao ar livre, aproveitando o tempo ensolarado, pensando que talvez não as atingisse. Mas o país está ficando um pouco louco, as pessoas estão correndo para comprar toneladas de comida, mesmo que tenhamos muitos estoques nos supermercados e no país por meses, pelo menos até este verão (inverno brasileiro).


Espero que o governo comece a limitar a quantidade de papel higiênico que as pessoas podem comprar. Os franceses odeiam quando o governo nos manda fazer alguma coisa, mesmo que seja do nosso interesse fazê-lo. Ainda posso ir ao meu escritório no momento e trabalhar em alguns projetos pessoais, mas não sei por quanto tempo. Como freelancer, não temos nenhuma ajuda do governo no momento.


Florian Gintenreiter - Áustria

Medidas de quarentena de longo alcance levaram a Áustria a parar a produção de filmes e vídeos. Perdi trabalhos no valor de milhares de euros em questão de dias.


Aparentemente, o governo tenta arduamente apoiar micro, pequenas e médias empresas com benefícios fiscais e de previdência social. Resta ver se os Videomakers serão ajudados. Agora vou tentar conseguir alguns trabalhos que ofereçam vídeos de "comunicação de crise", ambos filmados e animados para meus clientes e ver se um pouco de receita pode ser gerado dessa maneira.



Andrew Collings - Flórida

Embora não tenhamos sido atingidos com tanta força quanto as grandes cidades internacionais, como Nova York ou São Francisco, a cidade está se esvaziando (assim como as prateleiras de todas as grandes lojas).


O trabalho de filmagem parou completamente. A maior parte do trabalho aqui é em eventos, casamentos, empresas ou comerciais - todos foram cancelados.


Havia alguma esperança de que o governo intensificasse e prestasse assistência ou assistência temporária, mas neste momento isso parece improvável. Eu continuo procurando shows e trabalhos diferentes, mas com pouco sucesso até agora. Não há muito o que fazer, além de aguentar e aguentar.


Graham Sheldon - Califórnia

Como a maioria de nós, todos os meus projetos foram cancelados ou adiados aqui na Califórnia. Eu tenho me esforçado um pouco para fazer a transição para mais escrita e streaming, mas estou dando pequenos passos nisso.


Temos uma comunidade de filmagens muito unida aqui e a maioria parece estar de olho em um futuro em que teremos muito trabalho para entregar de uma só vez quando agências e redes voltarem ao trabalho. Espero que as coisas mudem para melhor em um mês, porque eu não conheço muitos Videomakers nos mundos do cinema e da TV que são capazes de trabalhar em casa por meses a fio.


Fonte: cinema5d.com


E você, como o Coronavírus tá afetando o teu trabalho como Videomaker? Compartilha aqui nos comentários com a gente.


Cada uma dos textos que disponibilizamos aqui, tem como objetivo informar e contribuir com seu aprendizado e crescimento profissional.


E se quiser ficar por dentro das principais notícias sobre Audiovisual, te inscreve na nossa newsletter pra sempre receber informações e dicas atualizadas.


104 visualizações
Quer ficar por dentro das novidades do Audiovisual? Deixe seu e-mail 👇